Pular para o conteúdo principal

Resenha: Diário de Busca

Livro: Diário de Busca
Editora: Chiado
Autor: W-Souza



Sinopse:
O incansável explorador dá de ombros e não se deixa abater, tentando demonstrar maturidade e controle. Eval tinha razão, muito ainda estava por vir, aquilo era só o começo.
Aprendeu com sua mãe a ser persistente, a lutar pelo que acredita, e pensou: É como dizia um velho amigo - Para o obstinado, o tropeço é apenas um empurrão para seguir em frente.
Agradeceu, despediu-se, pegou a mochila, e virando a aba do boné para trás, gesto que fazia quando estava indignado, partiu, sorrindo apenas para a secretária.
Jamais desistiria, não era o perfil dos Di Carlli. Dali foi direto para a biblioteca preparar o material para uma próxima possível expedição.




Olá caros leitores e caríssimas leitoras, preparados para mais uma resenha literária. Venham comigo descobrir minhas impressões à respeito da obra.



Em Diário de Busca, acompanhamos três gerações de uma mesma família em busca de seus sonhos. O primeiro deles é Leopoldo Di Carlli, u…

Resenha: O Céu Noturno em Minha Mente

Livro: O Céu Noturno em Minha Mente
Editora: Galera
Autora: Sarah Hammond



Sinopse:
Mikey Baxter tem 14 anos, mas muitas coisas o diferenciam dos outros garotos da sua idade. Para começar, o pai está na prisão e a mãe se recusa a falar sobre o assunto. Ele sabe que, de alguma forma, isso está ligado à cicatriz em sua cabeça e ao fato de ele parecer ter mais dificuldade em entender certos assuntos do que os outros. Quando um misterioso assassinato ocorre em sua cidade e Mikey é o primeiro a chegar à cena do crime, ele não sabe o que pensar. O que o levou até ali? Quem teria matado o morador de rua da cidade, que parecia nunca ter feito mal a ninguém? E quem era o homem caipira que estava nos arredores?



Olá caros leitores e caríssimas leitoras, preparados para mais uma resenha literária. Venham comigo descobrir minhas impressões à respeito da obra.



Quando eu comecei a leitura de "O Céu Noturno em Minha Mente", imaginava um livro juvenil bom, mas confesso que não criei muitas expectativas. Contudo, quando comecei a mergulhar no mundo de Mikey, fiquei completamente surpreso. Sarah Hammond criou um livro que me envolveu de forma surpreendente. Como isso aconteceu? Confira abaixo.
Mikey Baxter é um garoto de 14 anos, porém, tem diversas diferenças dos garotos da sua idade. A primeira grande diferença é que ele tem certa dificuldade de entender algumas coisas. A segunda é que ele possui um dom que muitos gostariam de ter: o Pra Trás. Mikey consegue enxergar o passado e, muitas vezes, suas visões estão interligadas com o presente. Porém, ele não consegue dominar muito bem esse dom.
Ainda há outra diferença entre Baxter e os demais garotos: seu pai está preso. Ele não sabe exatamente o motivo, afinal, sua mãe se recusa a falar sobre as razões. Na verdade, falar sobre o pai é proibido. Isso sempre intrigou Mikey, mas ele tinha que aceitar. Contudo, tudo parece que começará a mudar quando o Pra Trás mostra algo ao garoto. Para piorar, um assassinato acontece na cidade e ele é o primeiro a chegar à cena do crime. Daí em diante, a vida dele vira uma aventura.
Partindo dessa premissa, Sarah cria um livro fantástico. Isso acontece porque a autora foge de uma estrutura já batida e previsível. Mikey está fora do padrão de protagonista juvenil; ele não tem os mesmos desafios dos demais protagonistas e, principalmente, tem um dom bem incomum. Isso, somado com o ar de mistério que encontramos na obra, torna o livro envolvente, deixando a leitura deliciosa e envolvente ao extremo.
A autora também merece os parabéns pela sábia escolha da estratégia narrativa. Ao usar da primeira pessoa para narrar o enredo, ela aproxima o leitor da mente e da vida do protagonista. É possível entender todos os anseios, as dúvidas e as confusões que o Pra Trás causa no garoto. Além disso, como Mikey ainda tem que conviver com o trauma de não ter o pai por perto, há um aprofundamento psicológico acima da média na obra, o que deixa tudo ainda mais interessante.
Por fim, a autora também criou um mistério muito plausível e envolvente. É impossível não ficar na torcida para que Mikey consiga juntar as peças do quebra-cabeça e aliviar sua consciência. Obviamente, o Pra Trás tem um papel muito importante na construção desse mistério, o que deixa tudo ainda mais angustiante, já que o dom nem sempre entrega as respostas exatas no momento necessário.
De um modo geral, "O Céu Noturno em Minha Mente" mostra-se um livro muito acima da média. Há um aprofundamento psicológico maior, personagens bem desenvolvidos e um mistério bem articulado que deixará crianças e adolescentes totalmente presas ao enredo. Sem dúvidas, essa é uma obra perfeita para o público infanto-juvenil, mas que também pode ser lida por leitores mais maduros. Livro mais do que recomendado! Em resumo "O Céu Noturno em Minha Mente" é uma obra que deixará os apreciadores do gênero extasiados. Finalizo por aqui, espero que tenham gostado da resenha e até a próxima!

Comentários

  1. O título me chamou bastante atenção de cara. Quando olhei a capa já imaginei, na hora, que se tratava de um livro com personagem com algum tipo de transtorno psicológico... e me lembrou muito "O fim é epenas o começo". Engraçado, sinto que a maioria dos livros que tratam, de alguma forma, de transtornos mentais seguem um certo padrão (e são azuis). A sinopse deu a entender mas não deixou claro se Mikey tem algum tipo de transtorno, então não posso afirmar com certeza sobre isso.

    Achei interessante o fato de o livro, apesar de ser sobre um adolescente e ser, também, voltado para esse público, tratar de assuntos diferentes do clichê do gênero (escola, amigos, bullyng, namorados). Fiquei muito curiosa sobre a história, principalmente por esse fato. Também fiquei curiosa sobre o dom do garoto e sobre o que o pai dele fez.

    Personagens bem construídos, mistério intrigante e aprofundamento psicológico parece uma combinação muito boa para um livro. Nunca tinha ouvido falar sobre mas fiquei interessada na leitura.

    Au revoir <3
    http://tecerfloresecheirarlivros.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Polyana! O livro é interessantíssimo, pois aborda certos assuntos de maneira pouco usual em livros. Para quem gosta de um bom livro infanto-juvenil este aqui é sem dúvidas um dos melhores que eu li neste ano. Fica a dica para você conhecer Mikey e suas aventuras. Au revoir.

      Excluir
  2. Olá, Luciano.
    Eu não vi a editora divulgando esse livro. É engraçado como fazem tanta divulgação em alguns títulos e outros passam batido. Mas fiquei bastante interessada nele. Parabéns pela resenha.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil! É verdade existem muitos livros pouco ou que não são divulgados como deveriam. E existem outros em que, a divulgação é tão exagerada que parece que só existe aquele livro para o leitor ler. O livro é excelente.

      Excluir
  3. Oi Luciano, tudo bem?
    Achei o dom do Mikey bem diferente e instigante. Mas confesso que a questão do pai dele ser um mistério (o motivo da prisão, o motivo de não poder falar no assunto) foi o que fez um "click" na minha curiosidade. Ótima dica!
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Pri vou bem e você? Que bom qur você gostou da dica. Se puder leia o livro, pois certamente você vai gostar. Beijos!

      Excluir
  4. Olá, Luciano

    Que bom que o livro te surpreendeu positivamente. Achei bem diferente ele ter o dom de enxergar o passado, já que estamos mais acostumados com personagens que veem o futuro, né?
    E fiquei curiosa para saber qual é a questão acerca do pai dele!
    Olha que eu nem gosto de livros juvenis e infantojuvenis, mas realmente este não parece ser um personagem comum.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tamires! Se tiver oportunidade não deixe de ler o livro, você vai gostar da leitura. Beijos!

      Excluir
  5. Voce, como sempre, despertando nossa atençao.

    juliamodelodemodelo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi, Luciano!
    Não conhecia esse livro, nunca nem tinha visto a capa dele.
    Achei a premissa muito interessante e muito diferente.
    Fico feliz que tenha se surpreendido com a obra.
    E achei muito legal esse enxergar o passado.
    Uma abordagem nova!

    Beijoooos

    Teca Machado
    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Teca! Este livro não teve a divulgação adequada, muitos leitores nem sabem de sua existência, infelizmente. Se tiver oportunidade leia-o, você vai gostar. Beijos!

      Excluir
  7. Eu li esse livro a um tempo atrás e confesso que me comoveu e me prendeu muito. É bem tocante.

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Monique! O livro é envolvente e tocante. Que bom que você gostou do livro, pois fui surpreendido positivamente com a obra.

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Resenha: Mini contos e muito menos

Obra: Mini contos e muito menos
Editora:Amazon/Independente
Autor: Marcelo Spalding

Sinopse:
Minicontos e Muito Menos é o primeiro livro de minicontos de Marcelo Spalding, doutor em Língua Portuguesa que, em seu Mestrado, fez a primeira dissertação do Brasil sobre os minicontos. Marcelo também é editor do site www.minicontos.com.br


Olá queridos leitores e leitoras, hoje trago a vocês uma resenha de uma  obra muito peculiar, trata-se de "mini contos e muito menos". Pelo título já dá para saber que a obra é de mini contos, para ser preciso são 5 mini contos contidos na obra. Os nomes dos mini contos são: Cinco Marias, Ciranda da vida, Cédula viva, Faces de sete poemas e Sinal dos tempos. Os minicontos são narrados independentes, os mesmos não possuem ligação entre si, visto que, em alguns livros de contos, os mesmos possuem ligação com os outros, nessa obra não. Eu achei os minicontos muito bem escritos, com tramas bem elaboradas e também coerentes em suas histórias, contudo …

Zona de conforto!

Todos nós já passamos por muitas decepções e frustrações ao longo de nossa caminhada. Com o passar do tempo, ficamos receosos com tudo e todos. Muito normal, mas não podemos ser dominados pelo medo. Por receio dos riscos, fracassos e frustrações podemos acabar inconscientemente com as nossas realizações. Ou seja, o medo é o maior causador da autosabotagem. Achamos que não somos capazes e merecedores de vitórias, sucesso e felicidade.
O desconhecido nos provoca muito medo. "Vai dar tudo certo? O que vai acontecer? Terei sucesso?" Esse medo faz com que nos mantenhamos na nossa “zona de conforto”. Muitas pessoas encontram-se estagnadas em sua vida porque se deixam amedrontar por essa sensação de insegurança.
Pare e reflita! Como é viver sem arriscar? Viver sem intensidade? Viver com medo? É viver de uma forma mais ou menos, sem aquele frio na barriga ou adrenalina. Você perde oportunidades incríveis por causa dessa insegurança. O medo é o pior empecilho para que você atinja se…

Incompletos!

Perdemos vários aprendizados quando esse acesso é interrompido, os tais emaranhados, e com isso dificultamos nosso processo natural de evolução.
Então, se essas informações nos pertencem, porque não podemos nós mesmos resgatá-las?
Basta para isso que tenhamos alguns pontos a considerar.
Se você tem dificuldade em aceitar seus erros, vai ficar muito difícil entender as emoções e reflexões que esse processo irá gerar. Tem que estar ciente que não somos o umbigo do mundo, que nem sempre o erro está no outro e estar disposto a promover modificações na forma de agir e pensar.
Todos os movimentos que fazemos durante uma constelação têm por objetivo olhar os membros da família com amor. Não se tem como aprender com a vivência do outro se não compreendemos que por mais “daninha“ aparentemente tenha sido sua passagem nesse mundo, sempre se tem o que aprender com ele. Sem essa compreensão, excluímos o indivíduo e com ele toda a gama de sabedoria que nos seria útil. Lembrando que "exclusão…