Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de dezembro, 2023

Sobre Sebos e Livros

Olá caros leitores e caríssimas leitoras! Como estão? Hoje venho falar de um assunto importante para comunidade leitora brasileira. Se você assim como eu gosta muito de ler, então essa postagem é pra você mesmo. Uma dica que posso dar para você que quer muito ler um livro, mas não tem dinheiro, no momento, para comprá-lo porque está caro é parar um momento para repensar a questão do consumo inteligente, pois a moda do momento e do futuro é ser uma pessoa sustentável, não é mesmo?! Então tentar encontrar um exemplar de segunda mão seria uma opção bastante acessível para você. Em geral os SEBOS sempre serão os melhores amigos de leitores ávidos, e pensando nisso, vai que encontra algum livro interessante por lá e com precinho camarada? Então, não perca tempo e procure logo por eles! Se não encontrar o livro que quer, espere um pouco e volte lá em alguns dias, uma hora esse livro vai chegar no SEBO mais perto de você. Acredite! Seja persistente! Caso não tenha paciência ou saúde, por ser

Minha Prece Natalina

Olá, caros leitores e caríssimas leitoras! Como estão? Hoje trago para vocês um breve texto sobre o Natal e minha prece natalina. Vamos conferir então! Para muitos, hoje em dia, o Natal pouco mais é do que troca de presente, árvores decoradas e luzes por todo lado. E parece que se perdeu completamente o seu significado. Nesta época nosso foco deveria estar voltado para a união e celebração familiar; para a reflexão sobre a nossa vida. E no lugar da frenética troca de presentes, deveríamos trocar carinho e amor. O nascimento de Jesus Cristo no Natal traz esperança a todos nós, pois antes de qualquer coisa, o Natal tem um propósito religioso. Que ao acender as luzes, sejam elas: pisca-pisca, velas, castiçais ou candelabros, essas luzes possam recordar e remeter à verdadeira e grande Luz do mundo, Jesus Cristo, que sendo Deus, se fez homem para salvar toda a humanidade. MINHA PRECE NATALINA  Desejo que neste Natal, antes de você perceber Jesus nas luzinhas que piscam pela cidade, você O e

Resenha: O Jogador

LIVRO: O JOGADOR  ANO DE LANÇAMENTO: 2007 AUTOR: FIÓDOR DOSTOIÉVSKI  EDITORA: L&PM Pocket NÚMERO DE PÁGINAS: 212 CLASSIFICAÇÃO: ☆☆☆☆☆ Sinopse: Fiódor Mikhailovich Dostoiévski nasceu em Moscou, em 1821, e morreu em Petrogrado, em 1881. Teve uma vida atribulada e trágica permeada pela doença (epilepsia) e tragédias familiares. Engenheiro de formação, dedicou-se à leitura dos mestres de sua época. Serviu ao exército e abandonou a carreira militar pela literária, levando uma vida boêmia e desregrada e tornando-se inclusive um jogador compulsivo. Ainda em vida, adquiriu a fama e a glória como um dos escritores mais populares na Rússia do seu tempo. Simpático às idéias democráticas, combateu o regime autoritário do Tzar. Chegou a ser preso e condenado à morte por participação em um movimento revolucionário, tendo sua pena comutada e transformada em quatro anos de trabalhos forçados na Sibéria. Sua obra é extensa e consistente, tendo escrito sobre a miséria e a grandeza da natureza humana

Poema: Mirante

Olá, caros leitores e caríssimas leitoras! Como estão? Hoje é dia de poema por aqui. Vamos conhecer o poema Mirante. Vamos conhecer então!  Poema: Mirante O gélido das palavras e das paredes nuas. O grafado sobre a escuridão nos muros e nos espelhos. A calada das trilhas retas e da ventura. A perfeição estabelecida no distante. A desorientação dissoluta em traços sem desvios. O colóquio e a divergência das toadas dos querubins.  O líquido luzidio abandonado nos cálices do eu. O desejar do mirante é pelo inexistente. É isso pessoal! Espero que tenham curtido o poema. Até a próxima!

Relacionamentos Em Tempos Tecnológicos!

Olá, caros leitores e caríssimas leitoras! Como estão? Hoje eu quero falar sobre um assunto que gera certa polêmica na atualidade. Vamos conferir então!  RELACIONAMENTOS EM TEMPOS TECNOLÓGICOS Você sabe a diferença entre ferramentas e armas? Muitas vezes, especialmente no universo das relações humanas, essas duas palavras são usadas como se fossem sinônimas. E o mais perigoso é que realmente existem alguns recursos, bastante usados nos relacionamentos amorosos, que costumam ser confundidos. Acontece que, de fato, existe uma sutil e, ao mesmo tempo, grotesca diferença entre uma e outra. As ferramentas servem para consertar, construir, transformar. Enquanto que as armas servem para machucar, destruir e aniquilar. Mas o que torna tudo isso uma grande armadilha é que a sutil diferença está no modo como cada uma é usada. Um pequeno detalhe que determina quem está usando quem. Então, quando pergunto quem usa quem no seu relacionamento, estou falando de um dos problemas que mais têm afetado o

Que calor dos infernos, minha gente!

Olá, caros leitores e caríssimas leitoras! Como estão? Hoje a postagem é um pouquinho diferente do habitual. Mostrarei um tiquinho de minha intimidade aqui pra vocês.  Mas é só um tiquinho mesmo, uma vez que não curto exposição, rsrsrs.  Já começo o dia assim debaixo do chuveiro. Pra ser sincero não sei quantos banhos eu tomo durante o dia quando estou em minha residência.  Por morar sozinho eu fico bem a vontade em casa. Nesses dias de calor extremo eu fico bastante incomodado com a sensação de calor. Nasci e moro na cidade do Rio de Janeiro, portanto eu até gosto do calor, mas ultimamente está sendo difícil suportar altas temperaturas. Gente o calor está insuportável.  Será que sobreviverei neste verão que está por vir. A previsão para hoje é de 37 graus, contudo a sensação passa facilmente dos 40 graus. Teve um dia que a temperatura registrou 42 graus por aqui e a sensação alcançou os absurdos 56 graus. É calor demais minha gente. É isso, fiz essa postagem para registrar um pouquinh

Resenha: Jeito De Matar Lagartas

LIVRO: JEITO DE MATAR LAGARTAS ANO DE LANÇAMENTO: 2015 AUTOR: ANTÔNIO CARLOS VIANA EDITORA: COMPANHIA DAS LETRAS NÚMERO DE PÁGINAS: 129 CLASSIFICAÇÃO: ☆☆☆☆☆ Sinopse: Vencedor do prêmio APCA em 2009, Antonio Carlos Viana lança novo livro de contos na comemoração dos quarenta anos de sua carreira literária. Quase seis anos após a publicação de Cine privê, um dos melhores contistas brasileiros da atualidade presenteia o leitor com este marcante Jeito de matar lagartas. Ao narrar histórias do cotidiano aparentemente banais, como uma brincadeira de criança, a venda de um imóvel ou o reencontro de um jovem estudante com a antiga professora, o autor toca em questões fundamentais como o envelhecimento, o sexo (ou a ausência dele) e a solidão. Se em seu livro anterior os protagonistas passam muitas vezes por situações extremas e respondem à altura às vicissitudes da vida, em sua nova obra as personagens são ao mesmo tempo resignadas e inquietas, o que torna o resultado ainda mais surpreendente.