Pular para o conteúdo principal

Resenha: Os Ratos

Livro: Os Ratos
Editora: Planeta
Autor: Dyonélio Machado

Sinopse:
Naziazeno Barbosa, que perambula um dia inteiro pelo centro de Porto Alegre em busca de algum dinheiro para saldar uma dívida.


Olá queridos leitores e leitoras, preparados para mais uma resenha literária. Venham comigo descobrir minhas impressões à respeito da obra.

Nesse livro de título "Os Ratos", primeiro romance de Dyonélio Machado, recebeu um dos prêmios importantes da literatura brasileira há oitenta anos. Muito legal esse fato, pois a obra é marcante e muitíssimo qualificada para tal premiação. O autor recebeu a notícia do prêmio quando estava preso, num porão de navio, à caminho do carcere no Rio de Janeiro. Era o tempo do Estado Novo, da ditadura de Vargas. Aqui "Os Ratos" mantem o mesmo frescor e força do que quando foi lançado. Frases curtas, sintéticas, tensas, uma psicologia apurada dos personagens e o centro de Porto Alegre como um personagem à parte, um labirinto por onde trafega o desesperado Naziazeno em busca dos cinco mil réis do leiteiro. A primeira de uma série de obras primas como "O Louco do Cati" e também "Desolação", Dyonelio tornou-se injustamente um autor praticamente esquecido, poucos leitores (as) o conhecem, ou já leram algum livro de sua autoria. É realmente um fato lastimável, mas infelizmente é real!
Dyonélio Machado, aquele que, com certa propriedade, é chamado de "o Kafka brasileiro"? "Os Ratos", sua obra-prima, é uma pérola esquecida da literatura brasileira, um clássico "menor" que, se justiça lhe fosse feita, deveria estar lado a lado com Machado de Assis, Lima Barreto, Raul Pompéia, Aluísio Azevedo e companhia nos livros-textos escolares.

Com tons genuinamente kafkianos, "Os Ratos" narra um dia na vida do funcionário público Naziazeno Barbosa, um cidadão comum que acorda com um sério problema: o leiteiro ameaça cortar-lhe o fornecimento de leite caso ele não pague na manhã seguinte os 53 mil réis que lhe deve. Durante todo o dia, Naziazeno, um dos mais marcantes representantes da galeria de personagens desvalidos que povoam a literatura brasileira modernista, perambula pela cidade de Porto Alegre do começo do século XX em busca de algum dinheiro para saldar a dívida. A trama se passa em aproximadamente vinte e quatro horas e descreve em detalhes as perspectivas, angústias, esperanças e desilusões do personagem durante este tempo. Recomendo a leitura! Se você não conhece Dyonélio Machado esse livro é uma excelente porta de entrada, para o leitor (a) aprofundar-se e deleitar-se em sua maravilhosa escrita e também em suas estórias.
Em resumo a obra é mais que indicada. Finalizo por aqui, espero que tenham gostado da resenha e até a próxima!


Comentários

  1. Oi Luciano, a trama parece interessante, mas não seria o meu estilo de leitura, quem sabe mais para a frente!

    Beijos Mila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camila! Quando estiveres preparada ( se é que estará algum dia ) leia o livro, pois a obra é interessantíssima e muito rica também. Espero que você possa se animar a ler mais livros antigos. Beijos!

      Excluir
  2. Ele foi literatura obrigatória do vestibular da UFRGS na minha época... normalmente quando a gente lê "obrigado" não gosta muito...

    cobaiaamiga.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Vi! É muito comum os mestres "obrigarem" seus alunos a lerem este tipo de livro, mas a obra é enriquecedora, além é claro, muito bem escrita.

      Excluir
  3. Olá, Luciano.
    Acho que não me dou muito bem com livros mais antigos. Estou sofrendo aqui para ler Os Miseráveis. Por isso acho que não leria esse.

    Prefácio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Sil! Que pena! Eu estou para ler os miseráveis desde o ano passado, porém venho adiando a leitura por se tratar de um calhamaço, e este que vos escreve ter muitos outros livros por ler, mas certamente o lerei.

      Excluir
  4. Oi Luciano,
    Muito interessante sua resenha. Cheguei aqui por um comentário seu no meu blog. Não conheço esse autor, mas o cenário da obra e a sua resenha me deixaram curiosa. Quem sabe em breve não leia?

    Abraços, Aline.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Aline! Aconselho-te a ler o livro, pois a obra é maravilhosa. Abraço!

      Excluir
  5. Que curioso esse título, mas fiquei fascinada com esse autor. Realmente não conhecia, mas porque ninguém tinha falado dele antes, e eu nem tinha visto as obras por aqui, mas agora estou muito curiosa para ler as obras dele. E claro, esse livro parece pra lá de inesquecível, é chocante imaginar essa história.
    Amei sua resenha, ficou maravilhosa falando também do autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Melissa! Não deixe de conferir este título e outras obras do autor. É uma pena que o autor seja tão pouco conhecido. Que bom que você gostou da resenha.

      Excluir
  6. Oi Luciano, que interessante! Nunca tinha ouvido falar sobre esse livro e esse autor. Fiquei bastante curiosa sobre a historia do livro, mas também sobre outras obras dele.
    Legal sua resenha e foi bom também você ter mencionado o autor.
    :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Taís! O livro é interessantíssimo. Não deixe de o conferir.

      Excluir
  7. O livro não me é estranho, porém ainda preciso conhecer mais. Espero ler um dia.

    Beijos

    Imersão Literária

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Leyanne! O livro é um clássico nacional, embora pouca gente ( inclusive alguns leitores ) o conheça. Espero que você leia-o. Beijos!

      Excluir
  8. Olá Luciano! Você me escreveu um e- mail falando sobre interesse em entrevista no meu site. Você tem interesse também em outras formas de divulgação ou seria só a entrevista mesmo?
    Tentei te responder ontem, mas o seu endereço de email da erro.
    Se puder escreva diretamente para: palomaviricio@gmail.com
    Abraço

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Zona de conforto!

Todos nós já passamos por muitas decepções e frustrações ao longo de nossa caminhada. Com o passar do tempo, ficamos receosos com tudo e todos. Muito normal, mas não podemos ser dominados pelo medo. Por receio dos riscos, fracassos e frustrações podemos acabar inconscientemente com as nossas realizações. Ou seja, o medo é o maior causador da autosabotagem. Achamos que não somos capazes e merecedores de vitórias, sucesso e felicidade.
O desconhecido nos provoca muito medo. "Vai dar tudo certo? O que vai acontecer? Terei sucesso?" Esse medo faz com que nos mantenhamos na nossa “zona de conforto”. Muitas pessoas encontram-se estagnadas em sua vida porque se deixam amedrontar por essa sensação de insegurança.
Pare e reflita! Como é viver sem arriscar? Viver sem intensidade? Viver com medo? É viver de uma forma mais ou menos, sem aquele frio na barriga ou adrenalina. Você perde oportunidades incríveis por causa dessa insegurança. O medo é o pior empecilho para que você atinja se…

Incompletos!

Perdemos vários aprendizados quando esse acesso é interrompido, os tais emaranhados, e com isso dificultamos nosso processo natural de evolução.
Então, se essas informações nos pertencem, porque não podemos nós mesmos resgatá-las?
Basta para isso que tenhamos alguns pontos a considerar.
Se você tem dificuldade em aceitar seus erros, vai ficar muito difícil entender as emoções e reflexões que esse processo irá gerar. Tem que estar ciente que não somos o umbigo do mundo, que nem sempre o erro está no outro e estar disposto a promover modificações na forma de agir e pensar.
Todos os movimentos que fazemos durante uma constelação têm por objetivo olhar os membros da família com amor. Não se tem como aprender com a vivência do outro se não compreendemos que por mais “daninha“ aparentemente tenha sido sua passagem nesse mundo, sempre se tem o que aprender com ele. Sem essa compreensão, excluímos o indivíduo e com ele toda a gama de sabedoria que nos seria útil. Lembrando que "exclusão…

Resenha: Mini contos e muito menos

Obra: Mini contos e muito menos
Editora:Amazon/Independente
Autor: Marcelo Spalding

Sinopse:
Minicontos e Muito Menos é o primeiro livro de minicontos de Marcelo Spalding, doutor em Língua Portuguesa que, em seu Mestrado, fez a primeira dissertação do Brasil sobre os minicontos. Marcelo também é editor do site www.minicontos.com.br


Olá queridos leitores e leitoras, hoje trago a vocês uma resenha de uma  obra muito peculiar, trata-se de "mini contos e muito menos". Pelo título já dá para saber que a obra é de mini contos, para ser preciso são 5 mini contos contidos na obra. Os nomes dos mini contos são: Cinco Marias, Ciranda da vida, Cédula viva, Faces de sete poemas e Sinal dos tempos. Os minicontos são narrados independentes, os mesmos não possuem ligação entre si, visto que, em alguns livros de contos, os mesmos possuem ligação com os outros, nessa obra não. Eu achei os minicontos muito bem escritos, com tramas bem elaboradas e também coerentes em suas histórias, contudo …